terça-feira, 23 de janeiro de 2007

Publicações I


Editado em finais de 2006, o livro Património Arqueológico da Coudelaria de Alter do Chão e as primeiras comunidades agropastoris apresenta "uma síntese dos trabalhos realizados em cada um dos sítios arqueológicos intervencionados na área da Coudelaria de Alter".

Autor: Jorge de Oliveira

Edição: Edições Colibri/ Universidade de Évora

domingo, 21 de janeiro de 2007

Anta de Santiago Maior







A anta de Santiago Maior, onde recentemente dirigi escavações, localiza-se praticamente em cima de uma das maiores falhas do País: a falha da Messejana. Apesar disso, resistiu milénios, praticamente intacta, ou quase.
Porém, em data incerta, um camponês sonhou com um tesouro e esventrou completamente a câmara e mesmo fora dela, tendo causado a queda de um dos esteios na cavidade resultante. O episódio permaneceu, de forma quase lendária, na memória dos mais velhos da aldeia.


Mais tarde, também em data indeterminada, a parte superior dos esteios foi rebentada com explosivos e o monumento entrou num quase esquecimento. Recentemente, novos proprietários quiseram restaurá-la e, no processo da escavação, foi descoberto o esteio tombado.


Trata-se de um dos maiores monumentos dolménicos da região, a par da Anta Grande da Comenda da Igreja ou da Anta de Pavia, por exemplo. A escavação demonstrou que, na construção do monumento, tinha sido usado um menir, entre a câmara e o início do corredor, do lado Sul.

A catedral das antas






Para dar início a um blog sobre antas, seria imperdoável não começar com a Anta Grande do Zambujeiro.


Um símbolo da excelência da cultura megalítica alentejana ou do nosso monumental desleixo?