quarta-feira, 31 de março de 2010

(Re) visitando monumentos II

Anta da Mitra 2



















Anta Grande do Zambujeiro


Anta pequena do Zambujeiro

Anta - capela de S. Brissos

terça-feira, 30 de março de 2010

Museu Nacional de Arqueologia: participe!!!

O Museu Nacional de Arqueologia alberga o maior acervo,documental e material, de arqueologia.
De realçar que os materiais arqueológicos provenientes das escavações do Prof. Manuel Heleno e casal Leisner, em monumentos megaliticos funerários alentejanos, se encontra neste local.

Face a esta situação e perante o risco eminente de se vir a encaixotar todo este espólio, por tempo indeterminado, considero que todos devemos assinar a Petição em curso:

Declaração e abaixo-assinado adoptado pela Assembleia-Geral da Comissão Nacional Portuguesa do Conselho Internacional dos Museus (ICOM)

EM DEFESA DO MUSEU NACIONAL DE ARQUEOLOGIA
Subscreva em: http://peticao.com.pt/mna

Mantenha-se informado e comente em: http://gamna.blogspot.com/

quinta-feira, 25 de março de 2010

Publicações XIV

Editor: Câmara Municipal de Oeiras
Editor Científico: João Luís Cardoso 

Título: Volume Comemorativo do XX Aniversário do Centro de Estudos Arqueológicos do Concelho de Oeiras (Câmara Municipal de Oeiras) 1988 - 2008.
Colecção: Estudos Arqueológicos de Oeiras - Volume 17
Data: 2009

terça-feira, 23 de março de 2010

(Re)visitando monumentos

Por alunos (2º e 3º Ciclo) e docentes da Universidade de Évora e da Universidade de Sevilha.


Anta 1 do Olival da Pega (Reguengos de Monsaraz)

Anta 2 do Olival da Pega (Reguengos de Monsaraz)

domingo, 21 de março de 2010

Perdigões: a morte

O Doutor António Valera realizou uma visita guiada à Exposição dos Perdigões, na Torre do Esporão, aos alunos de mestrado e doutoramento e docentes das Universidades de Sevilha e de Évora.
Apesar do espaço não ser muito grande, a exposição está muito bem concebida e perceptível apresentando um espólio verdadeiramente excepcional, uma pequena parte do que foi recolhido nos dois monumentos funerários já intervencionados.
Agradecemos a disponibilidade e simpatia com que fomos acolhidos.



sexta-feira, 19 de março de 2010

El enigma de las 19 novias del Dolmen de Montelirio (Sevilha)

Lapa do Bugio (Sesimbra)

A Lapa do Bugio, também conhecida por Estação Isabel, foi descoberta a 16 de Outubro de 1957, por Rafael Monteiro. A primeira campanha de escavações realizou-se ainda em Outubro de 1957, com a abertura de duas pequenas sondagens.
Os contextos funerários encontravam-se, segundo os arqueólogos responsáveis por esta intervenção "...a pouca profundidade e sob lajes, junto das paredes e até ao meio da gruta" (p. 413).
Esta primeira escavação forneceu um abundante espólio: cerâmica, placas de xisto e de arenito, instrumentos de pedra polida e lascada, 2 lagomorfos em osso, ligados pelas pernas traseiras, cilindro de calcário, entre outros.
(R. Monteiro; E.C.Serrão, "Estação Isabel", in Actas e Memórias do I Congresso Nacional de Arqueologia, p. 407-429)



quarta-feira, 17 de março de 2010

Anta da Capela dos Mouros (Sever do Vouga)


Monumento de planta trapezoidal, com 7,40m de comprimento, em granito porfiroide. Encontrava-se integralmente coberto.
A sua escavação revelou um espólio muito escasso mas, junto ao esteio de cabeceira encontrava-se uma pedra, de granito, "...mais comprida que a largura da cabeceira e tinha os seus topos encravados no tumulus, no local onde deveriam estar os primeiros esteios laterais à cabeceira (que não foram encontrados).../...a originalidade e o interesse da pedra está na sua face superior, que apresentava treze cavidades com o formato de calotes esféricas. Não confundir com as conhecidas «covinhas», pois são mais umas pias ou pequenas bacias, de boca circular, cujos diâmetros variam entre 11 e 15cm com a altura de 3 a 4 cm"(p.239)
(L.Albuquerque e Castro, Monumento megalítico da Capela dos Mouros (Arcas, Talhadas), in: Actas e Memórias do I Congresso Nacional de Arqueologia, 1959, p. 235-241)

segunda-feira, 15 de março de 2010

Anta da Horta (Alter do Chão)



A Anta da Horta localiza-se dentro da Coudelaria de Alter do Chão e foi intervencionada pelo Prof. Jorge de Oliveira, nos anos de 2001, 2003 e 2004.
Coordenadas (GPS): 07º 40´40.7´´W / 039º 13´31.3´´ N
Foram identificados três enterramentos em conexão anatómica, na câmara, tendo um deles (maxilar) sido datado por C14 - 3350 a 3020 (cal BC a dois sigmas).
No corredor, foi realizada uma datação de C14, a partir de um calcâneo: 2800 a 2760 (cal BC a dois sigmas).
Em termos de espólio, recolheram-se: cerâmicas lisas e decoradas, placas de xisto e de arenito, lisas e decoradas, pedra polida, pedra lascada, objectos de adorno.
(J. de Oliveira, Património Arqueológico da Coudelaria de Alter, 2006)

quinta-feira, 4 de março de 2010

Megalitismos...

pelo mundo...as diferentes faces de um fenómeno.