terça-feira, 22 de dezembro de 2009

BOAS FESTAS














Cartão de Boas Festas de Georg Leisner para Manuel Heleno, em 1945.
Fonte: Arquivo Histórico do Museu Nacional de Arqueologia

domingo, 20 de dezembro de 2009

Dolmens...






















quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Publicações XII




















Título:
O. Da Veiga Ferreira, homenagem ao Homem, ao Arqueólogo e ao Professor
Coordenação: João Luís Cardoso
Publicação: Câmara Municipal de Oeiras. 2008
Uma obra de referência para a História da Arqueologia em Portugal, com informação sobre a vida e a obra de O. da Veiga Ferreira.
Apresenta fotografias e plantas de sítios emblemáticos da arqueologia portuguesa como os concheiros da Moita do Sebastião e Cabeço da Arruda, recinto megalítico de Vale d`El Rei, as antas do Chão Frio 1 e 2, Antelas, Gruta das Salemas, Poço Velho, Lapa da Rainha, Lapa do Bugio, Tholos da Praia das Maçãs e do Monte Velho, Roça do Casal do Meio, entre muitos outros.
Conta ainda com textos de vários investigadores nacionais e estrangeiros.
"O precioso acervo, que agora se publica, constitui, por outro lado, importante fonte documental para o conhecimento dos condicionalismos que imperaram sobre a prática arqueológica em Portugal nas décadas de 1940 a 1960, e seus principais protagonistas, tanto a nível individual como institucional." J.L.Cardoso, p. 383.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Dolmen de Montelirio (Sevilha)
















O Dolmen de Monterlirio foi declarado Bem de Interesse Cultural, em Castilleja de Guzmán (Sevilla).
Nas escavações recentemente realizadas pelo arqueólogo Vicente Aycart, foram recolhidas cerca de 17 figuras zoomorfas, objectos em marfim (bolotas), milhares de contas de colar (algumas de âmbar), para além de pontas de seta e outros artefactos.
A 1ª câmara, escavada em 2007, continha restos osteológicos de 10 mulheres, com idades compreendidas entre os 16 e os 35 anos. As 2 datações realizadas, por C14, apontam para datas entre 2900 e 2800 a.C.
A 2ª câmara, escavada este ano, apresenta apenas um enterramento, daquilo que consideram ser, o chefe, ou alguma figura de relevo. Junto a este enterramento foram recolhidas 10 figuras zoomorfas (porcos e uma de ave) e figuras de bolotas, em marfim.
No corredor, foram já identificados dois altares, com pontas de seta e cinzas.
Este local encontra-se dentro da área urbana da localidade e, para o local, estava projectado um grande centro comercial. Face à importância dos achados arqueológicos o projecto foi suspenso e a área será declarada reserva arqueológica, prevendo-se também a construção de um Centro Interpretativo.
Leonardo García Sanjuán, professor da Universidad de Sevilla, classificou "... el dolmen de Montelirio como "una catedral de la prehistoria" que permite conocer mejor la sociedad del tercer milenio antes de Cristo. El dolmen consta de un corredor y una cámara circular con depósitos para las personas muertas. "El dolmen de Montelirio es para las religiones prehistóricas el equivalente de lo que eran las catedrales para la religión medieval. Es un templo de rango arquitectónico, cultural y simbólico análogo a lo que es la catedral de Sevilla para el cristianismo", comentó García Sanjuán.
"Los dólmenes son lugares de conmemoración funeraria y de culto a los antepasados, que en estas sociedades tenían una importancia enorme. En los dólmenes se practicaban enterramientos, eran lugares de conmemoración y podían ser incluso lugares de peregrinaje".

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Anta da Ordem (Avis)













Desenho dos finais do séc XIX.
in: O Archeologo Português, nº1. (1895)

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Anta de Santiago Maior (Alandroal)






































































































































A anta de Santiago Maior era conhecida na bibliografia desde 1959, altura em que é publicada pelo casal Leisner (Leisner e Leisner, 1959:167). Nesta altura é referida a existência de cinco esteios in situ na câmara (faltando-lhe dois esteios) e, o corredor apresentaria um comprimento de 5 m. Para além destes dados, os Leisner referem ainda a existência de materiais provenientes deste monumento, depositados no Museu Nacional de Arqueologia, considerando que poderiam ter sido levados por Leite de Vasconcelos.
A informação fornecida é muito sucinta e ambígua não sendo claro se teriam procedido a uma intervenção neste monumento, realçando apenas que havia sido violada.
Posteriormente, aquando da elaboração da Carta Arqueológica do Alandroal, Manuel Calado considera que o monumento se encontra totalmente destruído “o monumento, escavado e fotografado pelos Leisner, foi posteriormente violado até à destruição total por um pesquisador de tesouros. Hoje, resta uma cratera com cerca de 3 m de altura e 10 m de diâmetro” (Calado, 1993: 119); nesta altura era visível apenas um esteio deslocado.
Em 2005, as movimentações de terras para construção de uma moradia, puseram a descoberto cinco esteios na área do corredor e o topo dos esteios da câmara.
Em 2005 e 2006, foram realizadas escavações no local (por Leonor Rocha) que permitiram recuperar a planta do monumento e algum espólio, descontextualizado.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Exposição "Arqueologia Regional" no MAEDS

O Museu de Arqueologia e Etnologia do Distrito de Setúbal inaugurou, no passado dia 2 de Outubro, uma nova exposição de arqueologia, no âmbito do seminário “160 Anos Depois da Sociedade Arqueológica Lusitana...”.
Apesar do espaço não ter as melhores condições, a Drª Joaquina Soares e restante equipa do MAEDS, conseguiram reunir um excelente conjunto de materiais arqueológicos provenientes de intervenções arqueológicas realizadas no Distrito de Setúbal (mas não só), do Paleolítico ao Romano.
De realçar, os materiais relativos aos contextos funerários: grutas (naturais e artificiais) e monumentos megalíticos...











































































































sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Monte das Oliveiras (Pavia)














Monte da Oliveira 3














Monte da Oliveira 1














Monte da Oliveira 4

O conjunto megalítico do Monte da Oliveira (Pavia, Mora) é constituído por 2 antas, uma sepultura proto-megalítica e restos de uma mamoa.

domingo, 13 de setembro de 2009

Modelos...

"Interpréter ce passé néolithique et ces éléments d`architecture suppose de disposer d`un "modèle", un modèle qui ne pourrait pas être qu`un outil, le plus simple possible, capable de nous aider à recomposer un processus. (.../...) il doit être construit de telle façon que son fonctionnement puisse rendre compte de tous les faits observés."

Serge Cassen.
Exercice de Stèle. Une archeologie des pierres dressées. 2009: p. 43

sábado, 22 de agosto de 2009

Reconstituições megalíticas...
































Autora: Alexandra Pimenta

domingo, 9 de agosto de 2009

Proto-megalitismos















2ª do Peral (Arraiolos, Portugal)

"Sur la façade atlantique de grands tumulus ont été érigés qui, lorsque l`on sait ce qu`ils cachent, contiennent une chambre démesurément petite par rapport à la masse parfois considérable qui les surmonte. Auncun couloir ne permet d`accéder à ces chambres qui n`ont donc servi qu`une seule fois, peut-être à l`occasion du décès d`un personnage de haut rang. Ce ne sont dons pas, à proprement parler, des dolmens"

R. Joussaume, Des dolmens pour les morts, p. 94

sexta-feira, 31 de julho de 2009

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Proto-megalitismo do Alentejo Central - 7

Conjunto do Peral (Arraiolos)




























5ª do Peral
Monumento de planta arredondada. Com 5 esteios na câmara (3 deles completamente unidos a dar a forma arredondada).



















3ª do Peral
Monumento de planta rectangular. São visíveis 1 esteio do lado Sul e outro do Norte (compridos) e 1 de cabeceira.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Proto-megalitismo do Alentejo Central - 6






























Sepultura 2ª do Peral (Arraiolos)
O monumento apresenta a mamoa muito bem conservada, com cerca de 14m de diâmetro. São visíveis 2 esteios e uma provável tampa, caída.

sábado, 11 de julho de 2009

Mota do Olho Marinho (Arcos de Valdevez)








Mota do Olho Marinho (Arcos de Valdevez)

"(.../...) uma anta do maior typo da região, anta cuja lage superior de forma elliptica mede 3,20m x 2,40m x 0,50m de espessura. (.../...) No dizer de um pastor que me mostrou esta respeitavel mamôa, foram os mouros que fizeram tal obra: - Homens, senhor, não podiam! accrescentava elle."

Felix A. Pereira (1902) - O Arch. Port. vol.7,nº8/9, p. 207-208

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Anta Capela de Nossa Senhora do Monte Penedono

















Anta Capela de Nossa Senhora do Monte Penedono
(Fotos de A. Chan)
A anta localiza-se na área do altar mor.
A capela foi construída aproveitando parte da câmara do monumento, removendo-lhe o esteio de cabeceira. No exterior encontra-se o corredor, bem conservado, com 4 esteios de cada lado.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Necrópole megalítica de S. Gens (Nisa)






























S. Gens 1
(Foto: Jorge de Oliveira)




















S. Gens 2
(Foto: Margarida Ribeiro)















S. Gens 3
(Foto: Margarida Ribeiro)

terça-feira, 26 de maio de 2009

Publicações XI



















Editores:
Luis Benítez de Lugo Enrich
Primitiva Bueno Ramírez
Rosa Barroso Bermejo
Rodrigo de Balbin Behrmann
José António López Sáez

Edição: Anthropos, S.L./ 2009

domingo, 17 de maio de 2009

Megalitismo Alentejano IV


































Anta Pequena do Zambujeiro. Em recente visita ao local, os Prof. Primitiva Bueno e Rodrigo Balbin tiveram oportunidade de analisar a planta deste monumento...
Mais uma vez se apontou para a mesma leitura: dois monumentos em sequência.

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Mamoas...






























A primeira... a mamoa de Santa Cruz 4 (com uma sepultura proto megalítica escavada por Manuel Heleno, não vísivel actualmente).
A segunda... a do concheiro do Cabeço da Arruda.

terça-feira, 28 de abril de 2009

Publicações X


















Catálogo da exposição recentemente inaugurada.
Editado em 2009
Autor: Victor S. Gonçalves.
Edição: Câmara Municipal de Cascais.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Publicações IX



















Editado em 2008.
Autores: Primitiva Bueno Ramírez e António Vázquez Cuesta
Edição: Ayuntamiento de Valencia de Alcántara